Do Imaginário


Guimarães Rosa e a astrologia

guimaraesrosaago10          

Descobrir que Guimarães Rosa gostava de metafísica foi uma grande surpresa. Uma pergunta ocorreu rapidamente: qual seria a relação dessa metafísica com a obra literária que ele compôs?  

Tudo começou quando entrei em contato com um trabalho acadêmico a respeito de um conto do livro Corpo de Baile que identifica o uso de dados astrológicos em sua composição: Recado astrológico: o baile de João Guimarães Rosa de Daniela Severo de Souza Scheifler. 

Nesse artigo,  a autora faz um estudo a respeito dos nomes das personagens e indica possíveis relações de tais personagens e de suas histórias aos planetas astrológicos.

A história descreve uma viagem de um grupo de pessoas de ida e volta pelo sertão, tendo à frente  como guia, um homem conhecedor da região. Em meio a essa viagem, há um aviso de morte por traição dado pelo morro, que vai se desdobrando entre outras personagens, recontada sete vezes, até que é musicada e, finalmente, entendida por Pedro. O grupo passa por sete fazendas cujos donos apresentam nomes e características ligados aos planetas astrológicos: Jove (Júpiter), Vininha (Vênus), Nhô Hermes (Mercúrio), Nhá Selena (Lua), Marciano (Marte), Apolinário ( Apolo – Sol) e, por fim, Seo Juca Saturnino (Saturno).

A geografia do Morro da Garça e a paisagem sertaneja juntam-se a essas estórias. Mas, além desses elementos pode haver outros a serem explorados. Podemos ir muito mais longe. Francis Uteza, autor alemão de “A metafísica de O grande sertão de GR”,  cita o autor mineiro: “/.../ eu gosto de apoio, o apoio é necessário para a transcendência. Mas quanto mais estou apoiando, quanto mais realista sou, você desconfie. Aí é que está o degrau apara a ascensão, o trampolim para o salto.”     

O próprio autor nos avisa quanto às suas intenções: a realidade e a transcendência estão presentes nos textos. E a linguagem pode ser a linguagem o instrumento e chave para tal compreensão. Em entrevista a um crítico alemão, de 1965 em Gênova, Guimarães Rosa diz “ O idioma é a única porta para o infinito, mas infelizmente está oculto sob montanhas de cinzas.” É o estudioso alemão que nos explica mais a esse respeito.

Segundo Uteza, somente a partir da “elucidação dos enigmas lingüísticos” de sua língua fluida e musical  “ se poderá ter acesso ao conteúdo “metafísico-religioso” que se encontra oculto em sua obra”.   Portanto, os elementos de sua visão metafísica não são claramente expressos. Ao contrário, estão cifrados em sua particular expressão lingüística, que é um corpo físico e concreto, o lugar em que se apresenta o transcendente.

Tanto em sua obra-prima como no conto que nos interessa, encontramos essa visão maior da questão humana: a metafísica. A perspectiva de uma geografia e experiência humana local e regionalista é somente o ponto de partida. A viagem pelo Morro da Garça, o lado realista do texto, é também uma representação astrológica da caminhada humana. A geografia do sertão se cruza em algum ponto com um tempo que ganha contornos míticos. Esse ponto talvez seja a linguagem ou “a porta para o infinito” como queria Guimarães Rosa.

Nesse conto, os elementos naturais conspiram para que o destino humano se cumpra. É o morro que fala e cuida do herói. A decifração do enigmático recado e a resolução pelo confronto humano libera o herói para andar por grandes espaços, livre e senhor do mundo: "Daí com medo de crime, esquipou, mesmo com a noite, abriu grandes pernas. Mediu o mundo. Por tantas serras, pulando de estrela em estrela, até os seus Gerais". Esta frase final do conto refere-se às ações da personagem pós-resolução do conflito? Ou é a ação atemporal, mítica, efetivada por Pedro - e por todos os heróis - em meio a seu contexto e as estrelas? 

Reconheço as múltiplas possibilidades de leitura nas entrelinhas em Guimarães Rosa. A elaboração dos nomes e a simbologia das estrelas e do céu, numa relação explícita com a astrologia, é uma das grandezas desse conto. Mas, a pergunta inicial só foi parcialmente respondida. Voltarei ao assunto.

 



Escrito por AnaGon às 10h41
[ ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Afrodite
 Lemniscata
 Fel
 Macacos
 Helô Reis
 The Chatterbox